OI!!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/7/5/0/9/4009057_16559.gif

terça-feira, 6 de novembro de 2012

MESTRE DA SABEDORIA

MESTRE DA SABEDORIA.

Um mestre da sabedoria passeava com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu visitá-lo. Durante o percurso, falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos com as pessoas que mal conhecemos.
Chegando ao sítio, constatou a pobreza do lugar, com uma casa de madeira e sem calçamento. Os moradores, um casal e três filhos, estavam vestidos com roupas rasgadas e sujas! Aproximou-se do senhor, aparentemente o pai daquela família, e perguntou-lhe:
— Nesse lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como sobrevive aqui com sua família?
E o senhor calmamente respondeu-lhe:
— Temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte desse produto vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros gêneros alimentícios e com o restante produzimos queijo e coalhada para nosso consumo e assim vamos sobrevivendo.
O sábio agradeceu-lhe pela informação, contemplou o lugar por uns momentos, depois se despediu e foi embora. No meio do caminho, ordenou ao seu fiel discípulo:
— Pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente, empurre-a e jogue-a lá em baixo.
O jovem arregalou os olhos espantado e questionou o mestre sobre o fato de a vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família, mas como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre, foi cumprir a ordem.
Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer. Aquela cena ficou marcada na memória do jovem durante alguns anos.
Um belo dia, resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar àquele mesmo lugar e contar tudo à pobre família, pedir-lhe perdão e ajudá-los.
Quando se aproximava do local, avistou um sítio muito bonito, com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou triste e desesperado, imaginando que aquela humilde família tivera que vender a propriedade para sobreviver. Apertou o passo e chegando lá foi recebido por um caseiro muito simpático.
Perguntou-lhe sobre a família que ali morava há uns quatro anos e o caseiro respondeu-lhe:
— Continuam morando aqui.
Espantado, entrou correndo na casa e viu que era mesmo a família que visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha):
— Como melhorou o sítio e está tão bem de vida?!
E o senhor, entusiasmado, disse-lhe:
— Tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante tivemos que fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. Assim alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora!

PONTO DE REFLEXÃO: Todos temos uma vaquinha que nos dá alguma coisa básica para a sobrevivência e uma convivência com a rotina. Descubra qual é a sua. Aproveite a entrada do novo milênio para empurrar sua vaquinha morro abaixo.

AMIGOS


AMIGOS.
Amigos não nascem em árvores, nem aparecem num passe de mágica. Boas amizades crescem ao longo do tempo e são resultado do investimento que fazemos em nossos relacionamentos pessoais. Existem alguns princípios básicos que podem ajudar-nos a desenvolver boas amizades.

SEJA AMIGO.
Quem deseja ter amigos precisa mostrar-se como tal. Não espere que os outros tomem a iniciativa. Mostre-se amigo das outras pessoas desde o princípio. Para experimentar uma boa amizade é necessário arriscar-se oferecendo sua amizade ao próximo. Ainda que seja tímido, peça a Deus para dar-lhe disposição, direcionando-lhe para aqueles que precisam de amigos.

IDENTIFIQUE SEUS CONHECIDOS, COLEGAS E AMIGOS.
CONHECIDOS são aqueles que convivem conosco, estudam na mesma sala, comem na mesma cantina, trabalham na mesma empresa, moram na mesma rua. Nossa conversa com eles nunca vai além de informações do tipo: “Oi! Quanto foi o jogo ontem?”

COLEGAS são aqueles que nos conhecem um pouco mais. Nosso relacionamento com eles é estritamente profissional. São amigos em potencial. Eles convivem um pouco mais conosco, sabem onde moramos, mas não conhecem nossos sonhos, dúvidas e aflições. Nenhum dos dois sente que gostaria, pelo menos no momento, de investir em um relacionamento mais profundo.
AMIGOS estão conosco na escola e na vida. Existe uma certa cumplicidade nos sonhos e nas aspirações. Partilhamos com eles o que somos e sentimo-nos aceitos por isso e apesar disso!

ACEITE QUE É IMPOSSÍVEL SER AMIGO DE TODOS.
Estudiosos do comportamento humano descobriram que não temos tempo nem estrutura emocional para desenvolver, simultaneamente, muitos relacionamentos significativos em nossas vidas. Desenvolver amizades sinceras e profundas exige tempo e exposição gradativa do nosso interior.

PROCURE TER MAIS DE UM AMIGO.
A amizade saudável não é possessiva. Você não possui seu amigo e nem ele a você. Ter apenas um amigo é limitar muito sua percepção de vida. Formar um grupo de amigos que jogam bola e fazem passeios juntos é muito saudável e pode ser a cura para amizades possessivas.

APROFUNDE A AMIZADE AOS POUCOS.
Ao fazer novos amigos estará se tornando vulnerável à rejeição. Não abra todo o seu coração logo no começo. Agindo assim dará oportunidade ao seu novo amigo de estudar e ver se ainda deseja continuar aprofundando o relacionamento. Estará também conhecendo melhor a pessoa e descobrindo se ela é confiável. Essa atitude permitirá que possa desistir de investir numa amizade sem sentir que o outro já sabe demais de você!

EVITE JULGAR PELAS APARÊNCIAS.
Lembre-se de que o homem vê o que está diante dos olhos, porém Deus vê o coração das pessoas. Procure observar as criaturas como Deus as vê e será surpreendido. Não importa status social, beleza, popularidade, etc. Quem procura um amigo deve começar valorizando o interior.